sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Chá Literário Poesia Forma e Sentidos


No dia 28 de novembro às 19:30h foi realizado na Escola Estadual Eloy Pereira em Montes Claros, Minas Gerais o Chá Literário dos 2o anos do Ensino Médio coordenado por mim, Jussara Veloso, professora de português e literatura.Foi maravilhoso!!! Lindo!! Estou muito orgulhosa dos meus alunos, TODOS, que participaram desde a ornamentação, confecção de murais, teatro de sombras, músicas, poesias, jogral, danças e aos que nos prestigiaram com sua presença no evento.  Agradeço também a colaboração da professora Arlete de artes pela ornamentação e pelo Teatro de sombras que foi um SHOW!! A professora de educação física Renata que muito nos ajudou com as coreografias. Também agradeço às minhas colegas Norma e Marlene pelo apoio dado. E é claro o apoio por minha supervisora Dária e minha diretora Marilde. A todos vocês OBRIGADA!!!!!!

O Chá Literário começou com o TEATRO DE SOMBRAS que retratou o século XIX, com suas revoluções, desenvolvimento da ciência e da tecnologia, as grandes descobertas e o reflexo disso tudo na arte e na literatura, principalmente no final do século através do Parnasianismo e do Simbolismo.
Homenageamos os poetas do Parnasianismo Olavo Bilac, o poeta das estrelas, e Raimundo Correia e os poetas do Simbolismo Cruz e Souza e Alphonfus de Guimarães com leitura e recital de seus poemas. Além disso também houve uma coreografia da música Ouvir Estrelas da banda Kid Abelha interpretada por meus alunos Bruna e Victor Hugo e a dança simbolista gótica com a música Urga retranto a forte influência da cultura oriental nesse estilo de fim de século. Para ressaltar a volta do subjetivismo e das emoções o aluno convidado do 3o ano Harilson interpretou lindamente músicas de  Ana Karolina. Enfim MARAVILHO!!!












Teatro de Sombras
Jogral Profissão de Fé - Olavo Bilac

Correspondências - Charles Baudeller com o aluno Adriano




Bastidores do Chá Literário

Ensaio da coreografia


Ornamentação

Ensaio Música Ouvir estrelas



sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Nós e os outros- Histórias de diferentes culturas


Introdução
No Brasil vive gente do mundo inteiro.
Vivemos uma pluralidade cultural e devemos assumir a riqueza dos diferentes modos de ser brasileiro.
Quando diferentes povos entram em contato influenciam-se reciprocamente e um aprende com o outro.
Nem sempre diferentes culturas convivem de forma harmoniosa. As várias culturas que se cruzaram no Brasil se enriqueceram mutuamente: índios, italianos, japoneses, judeus, africanos, alemães enfim várias etnias e nacionalidades que hoje habitam o território brasileiro contribuíram para formação de nossos comportamentos, nossos valores, nosso modo de ser.
Nós e os outros  nos transporta para diferentes culturas, nos tornando, a um só tempo, mais brasileiros e mais brasileiros e mais universais, porque muito mais humanos.

O Gênero do livro
O conto é um texto narrativo centrado em um relato referente a um fato ou determinado acontecimento. Sendo que este pode ser real, como é o caso de uma notícia jornalística, um evento esportivo, dentre outros. Podendo também ser fictício, ou seja, algo resultante de uma invenção. 
Perfaz-se de todos os elementos que compõem a narrativa, ou seja, tempo, espaço, poucos personagens, foco narrativo de 1ª ou 3ª pessoa, corroborando em uma sequência de fatos que constituem o enredo, também chamado de trama.
 E um dos fatores de total relevância, é que o enredo apresenta-se de forma condensada e sintética, centrado em um único conflito. Tal característica tende a criar o que chamamos de unidade de impressão, elemento que norteia toda a narrativa, criando um efeito no próprio leitor, manifestado pela admiração, espanto, medo, desconcerto, surpresa, entre outros

Estrutura
O livro contém 12 contos:
  Marabá – Gonçalves Dias
  O índio – Edson Rodrigues dos Passos
  O mundo novo do novo mundo – Ilka Brunhilde Laurito
  O inferno – Graciliano Ramos
  O homem que sabia javanês – Lima Barreto
  O hóspede estrangeiro – Paulo Coelho
  Quarto de despejo – Carolina Maria de Jesus
  A festa da moça-nova – Índios Ticuna
  Vida nova – Pepetela
  O jardineiro Timóteo – Monteiro Lobato
  A piedosa Teresa – Âlcantara Machado
  Addarsu al awalu – Yanna Hadatty Mora

Gonçalves Dias
Aluno de Direito em Coimbra a partir de 1840, Gonçalves Dias foi colega dos principais escritores da primeira fase do Romantismoportuguês. Inspirado por essa convivência e a saudade da pátria, escreveu a "Canção do Exílio" - poema que se tornou tão célebre que alguns de seus versos são citados no Hino Nacional brasileiro. Orgulhoso do fato de ser descendente de brancos, índios e negros, seu pai era o comerciante português João Manuel Gonçalves Dias, e a mãe, Vicência Ferreira, mestiça.
Marabá

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Cartas para Mariana - Osmar Oliva



O Autor         
  Poeta, contista e ensaísta
  Nasceu Brasília de Minas, MG
  Pós-doutorado em literatura
  Professor da Unimontes
  Publicou vários ensaios e livros de poesia

Características da obra
  Temáticas variadas, predomínio de lugares fechados e pelo centro urbano com todos os seus problemas.
  Prosa intimista de cunho filosófico-existencialista
  Hipertextualidade
  A literatura de Oliva é a escrita de si, do seu “eu” em busca do seu “outro”
  Em cada carta perceberemos um narrador diferente, um sujeito desconexo, que procura compreender a si, sua família, o outro e a literatura.
  Título da obra  - Cartas para Mariana
Não há só cartas destinadas a uma mulher.
São 30 cartas sendo que apenas as cinco primeiras à Mariana. As outras estão ligadas a outras pessoas, escritores, situações , até mesmo monólogos

Temáticas:
  Cartas amorosas
  Cartas familiares
  Cartas do corpo
  Cartas literárias
  Cartas sobre o eu

Cartas amorosas
  Cartas destinadas às pessoas amadas. Na verdade as únicas em que lemos declarações amorosas de fato, são as cinco primeiras, destinadas à Mariana por um misterioso remetente  de inicial C
Cartas para Mariana são correspondências de um amado à sua amada ou do eu para o outro
Seriam respostas das cartas portuguesas escritas por Sóror Mariana Alcolforado no século XVII
  Deparamo-nos  com um amor intenso, beirando o ultraromantismo, egoísta, capaz de causar conflitos existenciais ao ponto do eu não se encontrar em si, almejando ser o outro
  O C seria a inicial do remetente Chamilly o cavaleiro francês apaixonado por Mariana
  As cartas falam do próprio sujeito que da amada propriamente dito. Ela é uma escrita do encontro e desencontro consigo mesmo.

Cartas familiares

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Parnasianismo e Simbolismo em sala de aula

Meus alunos dos 2o anos da Escola Eloy Pereira fizeram vários vídeos sobre os poetas do fim do século XIX. Veja alguns:

video

video


video

domingo, 11 de novembro de 2012

Um olhar de amor - Bella André



Chloe Peterson está tendo uma noite ruim. Uma noite realmente ruim. O machucado grande em sua bochecha pode provar isso. E quando seu carro patina para fora da estrada molhada em direção a uma vala, ela está convencida de que até o cara maravilhoso que a salvou do meio da tempestade deve ser muito bom para ser verdade. Ou ele é mesmo? Por ser um fotógrafo de sucesso que viaja frequentemente pelo mundo, Chase Sullivan tem seu jeito com mulheres bonitas, e quando ele está em casa, em São Francisco, um de seus sete irmãos normalmente está acordado para começar um pouco de diversão. Chase acha que sua vida é ótima do jeito que está — até a noite que encontra Chloe e seu carro destruído na rodovia Napa Valley. Não apenas nunca tinha conhecido alguém tão adorável, por dentro e por fora, mas como também percebe que ela tem problemas maiores do que seu carro batido. Logo, ele será capaz de mover montanhas por amor — e proteção — a ela, mas ela deixará? Chloe prometeu nunca cometer o erro de confiar em um homem novamente. Mas a cada olhar que Chase lança a ela — e a cada carinho doce e pecaminoso — conforme a atração entre eles sai faísca e esquenta, ela não pode fazer nada a não ser se perguntar se encontrou a única exceção. E apesar de Chase não perceber que sua vida mudaria para sempre em um instante, para melhor, ele não é o único a querer lutar por essa mudança. Ao contrário, ele está se preparando para uma luta... pelo coração de Chloe.


sábado, 10 de novembro de 2012

O lobo e a pomba - Romance Histórico



Na Inglaterra, no tempo dos druidas, houve certa vez um guerreiro de grande coragem que desafiou e venceu os deuses em combate, como punição, foi transformado em lobo de ferro.

Segundo a lenda, nos momentos em que a guerra assola a Terra, o lobo volta à vida na forma de um guerreiro ousado, invencível e imortal. Como agora, quando normandos e saxãos entram em conflito em Darkenwald e a vida da bela Aislinn depende da concretização da profecia.

Filha de um nobre assassinado pelos invasores, Aislinn é a sofrida heroína de o Lobo e a Pomba.

Autora de mais de 13 best-sellers, Kathleen E. Woodiwiss (1939-2007) revolucionou o romance histórico moderno ao criar personagens inesquecíveis e tramas repletas de paixão. “O lobo e a pomba” se passa na Inglaterra, em 1066. As forças normandas invadem o território saxão. Impotente, a jovem Aislinn assiste à destruição de tudo o que lhe é precioso. Quando Sir Wulfgar chega para assumir a posição de novo senhor das terras do pai de Aislinn, ela descobre que seu maior inimigo pode ser o próprio coração.